Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

11 agosto 2017

Poemas Simples Para Corações Inteiros





Este livro, que a autora Virgínia do Carmo dedica aos filhos, «raízes da minha coragem», não podia ter título mais adequado. Os poemas são, porém, apenas simples na facilidade com que os lemos, pois não deixam de encerrar uma grande profundidade em si.

Solidão

Penso na solidão das canoas.
Nas sombras anónimas. E no ventre
onde se geram todas as coisas
que não são de ninguém.

Há versos que nos deixam perplexos, pela sua clareza:

E não sei porquê, resisto de pé.
À espera de ser ruína.

In Esperança

Esperança é aliás a ideia subjacente, apesar da melancolia que cruza todo o livro:

Atravessa-me um deserto.
Com os gritos construo uma ponte sobre a areia.

In Deserto

Uma esperança que finalmente se consubstancia naqueles a quem a autora dedicou a obra:

Dos meus filhos, o que nasceu primeiro,
tem um acordar sempre preso nos olhos.
Uma janela sempre aberta aos pássaros.

In Filho primeiro

Tem lábios discretos e palavras que nunca diz.
Ama com cuidado. Sabe coisas que desconhece.

In Filho segundo

E são deste «filho segundo» os encantadores desenhos que ilustram muitos dos poemas.

Virgínia do Carmo é igualmente editora, com muito espaço para a poesia. Vale, por isso, a pena ir ver o que se vai passando na Poética Edições.


Sem comentários: